quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Rotina de guarda-roupa



Já fiz isso antes. Mas é incrível como os passos pesam mais ao longo dos anos. O presente parece mais pesado agora. Antes, o desagradável martelava. Hoje, é bola de ferro nos pés. Ele te afunda na cama.
Não vivo mais a liberdade inconsequente de outrora. Mas, ai, como queria vivê-la novamente!
Aquela liberdade desesperada, aquele gesto obsceno para o passado. Saía de cabeça erguida, história na mão. O peito pulando em alegria sufocante.
Hoje visto-me com uma responsabilidade meio oca. É quase uma fantasia. Uma fantasia para uma festa que não quero estar.
Observo e o que vejo são fantasiados, máscaras e bebidas controladas. Vendidas a um alto preço.
(...)
Tirem-me desta festa, por favor. Eu quero cara limpa, open bar, guaraná na mesa.


(Vou costurar roupas novas.)

Um comentário:

Laurinha disse...

saudades tuas, prenda minha.