domingo, 14 de março de 2010

Há um fim (?)

Onde acaba tanta procura? Hoje ouvi que só o que queremos é alguém como nós. Mas se nos sentimos tão à parte do mundo, como achá-lo? Há alguém à parte de tudo como você?

O mundo não reconhece sua genialidade. Mas você não cansa de acreditar que algo o torna tão à parte. Algo o difere, difere pensamentos comuns, os olhos são outros.

Há alguém como você? Ou é só mais uma mentira, mais uma mentira criada, forjada para que não perca a vontade de permanecer?

No fim, as coisas realmente dão certo? Noite após noite duvido disso. É reconfortante dizer que tudo ficará bem. Não, tudo pode não ficar bem. Sua vida pode passar, simplesmente passar e, um dia, desaparecer.

Não há um sentido.

O sentido está em Deus? O sentido está no amor? Sentido é chão.

Seguir os dias sem sentido é inconcebível, é como um não existir.

Hoje não escrevo entrelinhas. Hoje escrevo o que sai de dentro, sem escolher palavras, o que a noite traz.

Apenas seguir rumo ao próximo dia não está nos meus planos. Isso, sim, é um não existir. Onde está quem reconhece minha profundidade? Deus, o homem?

Pensar assim é ser por si só solitário. Assusta-me pensar que, talvez, este seja o sentido. E nada mais. Ser solitário por se ser o que se é.

Serei solitária, perdida em minha profundidade até o fim. E é pra isso que fui feita. Maldição ou não, quase acredito que minha eternidade é simples assim.

2 comentários:

Laurinha disse...

às vezes é preciso escrever sem entrelinhas. liberta. exorciza. revigora.

achar um sentido para a vida é o princípio básico da sobrevivência. e esse sentido, como você mesma me disse, um dia, às vezes é tão simples e, por isso mesmo, tão contraditório e difícil de perceber, que nos confunde.

aprender a ser só. descobrir no que se é bom. desenvolver potencialidades. respirar fundo. cantar. cair. chorar. amar. doer. perder. sentir. parar. ganhar. surpreender-se...

viver.

Prispi disse...

nossa....vc tem um blog. Adorei. adicionei.