sexta-feira, 6 de março de 2009

Das horas de despedida

Sentada na banheira, com os joelhos dobrados, ainda seca. Os cabelos soltos coçam as minhas costas. Albinoni e Beethoven aos ouvidos, um olhar vago. Meu ímpeto dramático logo realoja minha mente num roteiro de cinema. Que intenso, que intensas sensações!
Com a vista na movimentação dos ponteiros, os dias se arrastam. Crio cenas, um passatempo.
Já tenho aura saudosa, já sinto falta de tudo que ainda me rodeia. Sem perceber, procuro toda intensidade das despedidas cinematográficas. Dei de colecionar acenos, abraços e lágrimas.
A estrada aguarda meus primeiros passos e minha alma troca de pele.

5 comentários:

Laurinha disse...

hasta la vista!



:~~

sigoassimetrica disse...

"Viver é fúria e folia rumo ao mágico..."

disse...

confesso que sinto uma enorme vontade de fazer uma viagem grande, do porte da sua.

falta-me a oportunidade. beijo!

Vinícius Castelli disse...

Quando estamos longe, vemos o que realmente nos importa.
Curta o sol dessa estrada.

Luna Flores disse...

Intensa..
Doce..
Decidida (porem inconstante)..

Interessante...

Vontade também de saber um pouco mais...

(L.F.)